Meio Ambiente

A preservação do meio ambiente é pauta de discussão em qualquer lugar do mundo. Consciente com suas obrigações para com a natureza, a TBG traz esse assunto a público e se apresenta como uma empresa ambientalmente responsável.

Preservação

Preserva__o redimensionada2.jpg
 
Ao mesmo tempo em que cumpria determinações legais ditadas por normas ambientais para a construção do Gasoduto Bolívia-Brasil, a TBG interagia com as partes envolvidas: comunidades, órgãos governamentais, financiadores estrangeiros, universidades e organizações não governamentais.
 
Planos Socioambientais
Com a ajuda de uma equipe de consultores especializada e com a participação das próprias comunidades, foram desenvolvidos três planos socioambientais iniciados ainda durante a fase de construção do Gasoduto:
Planos Beneficiados Investidos em 
Plano de Compensação Ecológica  12 parques ecológicos Sedes, sinalização de trilhas, iluminação, educação ambiental e fiscalização. 
Plano de Compensação Socioeconômica  51 prefeituras  Saúde, educação, saneamento básico, pavimentação de ruas, cultura e lazer. 
Plano de Desenvolvimento de Povos Indígenas 22 aldeias  Saúde, escolas, poços artesianos, terras, animais, equipamentos agrícolas. 
Compensação Ambiental 
Compensa__oAmbiental redimensionada.jpg
A TBG desenvolveu, em parceria com o Ibama e com órgãos ambientais estaduais, um Programa de Compensação Ambiental que assegurou a preservação do meio ambiente, o respeito à comunidade e a conservação do patrimônio histórico e arqueológico. 
 
Foram priorizadas a regularização e aquisição de terras em processo de destinação a parques ambientais. A TBG também apoiou a pesquisa científica e a educação ambiental para que sejam bem conservados os parques estaduais envolvidos: Alberto Loefgreen (SP), Campinhos, Guartelá e Cerrado (PR), Serra do Tabuleiro e Morro do Baú (SC) e da reserva da Mata Paludosa (RS). 
 
Salvamento Arqueológico 

SalvamentoArqueol_gico redimensionada.jpg

O Programa de Salvamento do Gasoduto Bolívia-Brasil, coordenado durante seis anos por mais de 20 arqueólogos, divididos em três grupos, um para MS, outro para SP, o terceiro para PR, SC e RS, resultou no mais extenso levantamento arqueológico já feito no Brasil, segundo a Sociedade de Arqueologia Brasileira. 
 
O resultado do trabalho está disponível em publicação bilíngue (versão para o inglês), cedida a universidades, bibliotecas públicas e instituições de pesquisa. O livro detalha todo o processo de avaliação do impacto da obra que possibilitou o mapeamento de sítios arqueológicos até então desconhecidos.

Licenciamento

Licenciamento redimensionada2.jpg
Ao realizar obras, como a construção de novos Pontos de Entrega, a TBG cumpre obrigações legais no sentido de identificar impactos sociais e ambientais.
 
Essas informações são tratadas em estudos ambientais, os quais são aprovados pelo Ibama (DF).