Governança Corporativa

A TBG desempenha suas atividades pautada nas melhores práticas de Governança Corporativa, para preservar o valor da organização, respeitando os princípios de transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa.

A estrutura de Governança Corporativa da TBG tem os órgãos deliberativos e executivos atuando de forma integrada e coordenada, e suas atribuições seguem o que está definido na Lei das S.A. (Lei nº 6.404/76) e no Estatuto Social da TBG.

A contínua busca da TBG pelo aprimoramento das suas práticas de Governança visa a agregar valor à gestão da Companhia e consolidar sua imagem institucional, sempre pautada na confiabilidade, responsabilidade, transparência e ética.

Estrutura

aplc.jpg

A Assembleia Geral de Acionistas constitui o órgão social da Companhia, de caráter exclusivamente deliberativo.

O Conselho de Administração (CA) é composto por oito membros, sem suplentes, eleitos em Assembleia de Acionistas, com prazo de gestão que não poderá ser superior a dois anos, admitidas, no máximo, três reeleições consecutivas. Na composição do Conselho de Administração da TBG, ainda, há 25% de conselheiros independentes. Dentre os membros desse colegiado, há um conselheiro indicado pelos empregados, em atendimento à Lei Federal nº 12.353/10, proporcionando a participação da força de trabalho na orientação dos negócios da Companhia.

O Comitê de Auditoria Estatutário (CAE) composto por três membros eleitos pelo conselho de administração com a finalidade de dar suporte ao Conselho de Administração no que se refere ao exercício de suas funções de auditoria e de fiscalização das demonstrações contábeis e efetividade dos sistemas de controle interno e de auditorias internas independentes. 

Diretoria Executiva (DE), órgão estatutário cuja principal função é a gestão e operacionalização dos negócios da Companhia, é composta por um Diretor-Presidente e três Diretores Executivos, sendo um Diretor Financeiro, um Diretor Comercial e um Diretor de Manutenção e Operação, todos residentes no país. São eleitos pelo Conselho de Administração para um mandato de até dois anos, permitidas, no máximo, três reeleições consecutivas. As funções de Presidente do Conselho de Administração e Presidente da Companhia são segregadas.

O Conselho Fiscal (CF) é de caráter permanente, sendo independente da administração e dos auditores externos, conforme exigido pela Lei das Sociedades por Ações. É composto por três membros e respectivos suplentes, todos eleitos pela Assembleia de Acionistas, com mandato de dois anos, permitidas duas reeleições consecutivas.

A Auditoria Interna (AUDIN) da TBG possui regulamento interno aprovado pelo CA e tem a função de assessorá-lo, bem como à Diretoria Executiva (DE), de modo a garantir níveis adequados de verificação dos controles internos, respeitando o Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna (PAINT). Destaca-se que os resultados das auditorias internas são submetidos à aprovação do CA e são acompanhados ainda pelo CF e pela DE, sem prejuízo da verificação pela Controladoria Geral da União (CGU) e pelo Tribunal de Contas da União (TCU), órgãos de controle governamental.

A TBG possui ainda uma Auditoria Externa independente contratada para examinar as demonstrações contábeis da Companhia ao final de cada exercício social. A aprovação destas demonstrações é feita pela Assembleia Geral Ordinária de Acionistas (AGO). A cada cinco anos há a substituição da empresa contratada para garantir isonomia, independência e transparência ao processo de auditoria.